segunda-feira, maio 02, 2011

Na Terra do Retrazador Que Debuxava

Uma viagem um pouco estranha e (mais uma vez) totalmente executada sem GPS... Dicas daqui e telefonemas dali, como nos velhinhos tempos em que se desdobravam os quadradinhos dos mapas até taparem por completo o volante do carro... Num destes dias ía matando uma velhinha numa passadeira numa aldeia quando lhe perguntei direcções para um desvio que estava para aí uns 20 metros mais à frente... Noutro dia perguntei a um banquinho cheio de velhotes onde ficava ficava o sitio e quase que desatei a rir às gargalhadas quando me responderam incrédulos que aquilo que eu procurava não era um sitio e que eu estava mesmo lá no meio... Hoje foi mais fácil porque cheguei aqui quase de memória... E se me congratulo por não por em risco a saúde (física e mental) dos nossos avós, por outro lado fico triste... Não vai dar tempo para revisitar nem espaços com geada (estamos num ambiente de primavera, caramba!) nem espaços daquele artista... Tento convencer-me a mim mesmo e digo em surdina que fica para a próxima...

Nenhum comentário: