terça-feira, fevereiro 02, 2010

Noire

Je sent le noire... 365 tons de cinza fazem o negro... O grão do tamanho do pó talco a desaparecer no tecido espumoso monocromático... Também Aceitarei Carvão... Duas horas roubadas do consciente... Litro e meio a diluir, a alimentar, a hidratar... Quem está ao meu lado? Quem deveria estar ao meu lado? 365 linhas espessas de negro, sobrepostas umas às outras... Se forem umas meras 365 pinceladas para esconder a fealdade eu recuso... Se forem somente umas 365 chapas para revelar a fealdade eu aceito... Onde estive eu quando precisou? Onde está quando eu verdadeiramente preciso? 365 lufadas dolorosas de ar custam a engolir... 365 técnicas intrusivas no meu consciente fazem doer... Já passaram duas horas? Quem mas roubou?

Nenhum comentário: