domingo, dezembro 06, 2009

Kukan - Espaço Vazio



Para mim não é ainda oficial mas já anda a ser publicitado em alguns meios... Por ocasião da celebração dos 150 anos do Tratado de Paz, Amizade e Comércio entre Portugal e o Japão estarei a participar com uma exposição numa galeria vanguardista de Ikebukuro...

O espaço vazio, empty space em inglês ou kukan em japonês, é o fosso caótico que separa as duas margens de entropia mínima. É o que separa e distingue as estações do ano. É a barreira que segrega as minorias das maiorias. É o muro erguido entre as diferentes gerações de uma família. É a opção da especialização associada ao esquecimento devotado às profissões mais antigas.

Todavia o espaço vazio é algo que, embora nulo, existe. E, existindo, existe sempre a possibilidade de se criar um meio de o atravessar. Há pouco menos de 500 anos atrás, mais precisamente a 23 de Setembro de 1543, um punhado de marinheiros portugueses desembarcou na costa de uma das ilhas do sul do Japão (Tanegashima). Estavam criadas de imediato por parte daquelas gentes (portuguesas e japonesas) as condições para se fazer a comunhão de pessoas, costumes, línguas, comércio, tecnologia e história.

O espaço vazio existe portanto para isso mesmo: para ser atravessado. E a coragem e a determinação de quem o atravessa enriquece a história e a nobreza dos povos. É isso que acontece quando uma estação dá lugar a outra, É isso que acontece quando as minorias se integram e as maiorias se diversificam. É isso que acontece quando os netos educam os avós. É isso que acontece quando as profissões emergentes convivem lado a lado com os oficios tradicionais.

O espaço vazio entre os dois povos (Japão e Portugal) pintado a óleo em vinte e quatro telas de grande dimensão serve o único propósito do espectador individual se atrever a preenchê-lo!

Nenhum comentário: