sexta-feira, agosto 14, 2009

Spam sem Casualidade

Sob a forma de spam pode-se esconder a probabilidade casualística? A descida pela espiral fractal revela o mesmo mapeamento vezes sem conta? A solução gráfica da imagem virtual escondida pode-se revelar num simples poema pseudo-viral? O uso indiscriminado de detectores de metais pode introduzir veios de indiferença contaminada com velocidades limite? Harmonia caótica é sinónimo de miragem singular cibernética? Antibiótico mecanicista pode ser avaliado como efemeridade simbiótica?

(...)

Matematicamente falando parece-me bem que preciso de um anti-vírus muito rapidamente!

Nenhum comentário: